domingo, 1 de junho de 2008

Não leia, isso é só para mim!

Por que você não queria perder tudo isso? Tudo isso nunca fez sentido!
Lembre-se do dia em que depois de anos você encontrou, perdida em alguma playlist, Hands. E as suas mãos? Você parou de buscá-las. Agora, depois de confudi-las (estupidamente claro, pois sempre soube onde elas estavam) você as quer. Volta a busca, pois sabe onde elas estão, basta tocá-las.
Elas estão lá, ainda estão lá... no mesmo lugar, certamente também cheiram a cigarro, talvez sejam amareladas, mas dane-se, são as mãos perdidas, as mãos que desviastes do encontro.
Você precisa da velha paz de céus azuis, você precisa voltar a dançar, sim, dançar com quem dance com você, você precisa voltar a sorrir plenamente. Você precisa daquelas velhas mãos.
Sabe? Os desenhos de aquarela, o nanquim chinês? O carvão e o grafite? Estão lá ainda. Só abrace-os, só enlace-os com seus longos dedos de 11 centímetros.
Não desista da bondade e da oração.
Continue sonhando na maior parte do tempo.
Como é estúpido dar conselhos públicos para si, mas que seja assim.
Porque no fim, só importa a doçura e aquilo que fizestes de bom.
Não ligue para os gonzos que gemem, mas para quem está entrando pela velha porta.
E, ah, o mais importante: decida-se logo!

Um comentário:

Srta. Morango disse...

"Não ligue para os gonzos que gemem, mas para quem está entrando pela velha porta.
E, ah, o mais importante: decida-se logo!"
Please

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails