quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Em 23 minutos...

...Saio daqui
O gosto de capuccino desaparece da minha boca.
Entro num mundo franco-tupiniquim, francamente tupiniquim.
Queimo dois neurônios e qualquer vontade além de me perder por mais uma tarde de fresca brisa primaveril.
Poderia passar o resto da vida com aquele aroma de canela e aquele vento.
Assim como poderia passar com os longos caracóis de fumaça perdidos no ar azul daquele céu.
Perderia meus dedos em alguns cabelos.
Embaraçaria minhas mãos na fumaça daqueles caracóis.
Posso gostar de tudo que me agrade o tanto suficiente para não me deixar mal do estômago.
Quantas cores teríamos naqueles três dias disperdiçados com injúrias recíprocas...
Passaria um pouco mais que toda a vida largada numa rede, ao sabor de qualquer brisa.
Só os solitários que entendem tais prazeres.

2 comentários:

Ziza disse...

Da companhia do sol,
enquadrado,
esquentando o frio do pé.
Da tarde que me acompanha,
calada ,
andando pelo centro
Do cheiro do café,
matutino,
que eu mesmo preparo.

Só sabemos nós
quando sós
com nossos sentidos.

Mathias disse...

Sim, é verdade isso. Eu entendo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails